domingo, 7 de abril de 2013

Coqueiro Anão - Colheita



Cultivo do Coqueiro em Rondônia
Colheita e Pós colheita


Colheita

O coqueiro anão inicia a produção com cerca de 30 a 36 meses, sendo que, esta será
contínua com produção de 12 a 16 cachos por ano e uma média de 8 a 20 frutos
por cacho. A expectativa de produção de frutos por planta durante o ano é mostrada
na tabela 7.
Tabela 3 - Expectativa de produção de frutos do coqueiro anão verde, em função da idade da planta,
em plantios de sequeiro e irrigado.

Ano de Plantio
Lavoura de sequeiro

(frutos/planta/ano)

Lavoura Irrigada

(frutos/planta/ano)
1
0
0
2
0
0
3
20
50
4
35
80
5
50
120
6
70
150
7 e seguintes
80-100
150-200

O ponto ideal de colheita do fruto está associado a diversos indicadores
relacionados à planta, ao fruto e às características de produção.
Depende também de determinadas propriedades química e sensorial,
ligadas aos aspectos nutritivos, alimentares e de saúde humana.
Os frutos dos coqueiros anão destinados ao consumo in natura
de água de coco devem ser colhidos, principalmente, entre o sexto
e o sétimo mês, após a abertura natural da inflorescência.
Nessa idade ocorrem os maiores pesos de fruto, as maiores produções
de água de coco, os maiores valores de frutose, glicose e grau brix,
e o melhor sabor da água de coco, além de ser rica em minerais,
principalmente em potássio. A água proveniente de frutos com
idade em torno de cinco meses, é menos doce (menores
teores de glicose e frutose e menor grau brix), enquanto na
dos frutos com oito meses de idade, já ocorrem quedas nos
teores de glicose e frutose e no grau brix, e aumento no teor
de sacarose e no de gordura, ocasionando um sabor rançoso a
água de coco.
O coco para consumo in natura na culinária ou para uso
agroindustrial na fabricação de alimentos, deve ser colhido
com onze a doze meses. Estes frutos apresentam cor castanha,
com manchas verdes e pardas irregulares, com peso inferior ao
coco verde. Para a produção de alimentos "light" em gordura
seja na culinária ou na agroindústria, recomenda-se utilizar
a polpa do coqueiro anão por possuir menos da metade do
teor de gordura da polpa tanto do coqueiro gigante quanto
do híbrido.
Para realizar a colheita de coqueiros com grande altura o
colhedor ou "tirador" deve utilizar "peias" de couro ou nylon
para subir nas plantas. O uso de esporas deve ser evitado
visto que estas causam ferimentos no tronco do coqueiros,
o que pode transmitir doenças letais às plantas. Chegando
ao topo da árvore, o tirador amarra uma corda no pedúnculo
do cacho e o secciona com um facão. Com isso, a queda do
cacho é evitada já que a corda o está segurando.
Aproveita-se este momento para realizar a limpeza das copas,
desbastando as folhas velhas, que são cortadas também com o facão.
Não é recomendado cortar folhas ainda verdes, pois pode ocorrer a
atração de insetos causadores de doenças.
O coco verde merece cuidados para ser aceito pelo consumidor,
visto que ele será consumido in natura e o seu aspecto visual é
um fator limitante para a sua comercialização.
Logo depois de colhidos, os cachos devem ser limpos,
eliminando-se as ráquiles ou rabichos do coco para que
estas não atritem com a casca do fruto no transporte,
causando feridas e escurecimento no mesmo.
Em Rondônia é comum encontrar carrinhos onde a água de coco
é comercializada em copos descartáveis, onde a aparência
visual do fruto não tem tanta importância para o consumidor.

PÓS-COLHEITA

Após a colheita, os cachos devem ser transportados com a
máxima atenção, para evitar danos tanto mecânicos
provocados pelo impacto quanto a ruptura do endocarpo,
ocasionando a perda da água. Além disso, eles devem ser deixados
à sombra dos coqueiros até o momento de serem transportados
para a comercialização.
A qualidade da água é extremamente afetada pelo tempo
decorrente entre a colheita e o consumo final.
Sendo assim é necessário alguns cuidados para prolongar
a vida útil dos frutos:
  • Os frutos (cachos) devem ser manuseados com cuidado e o
    transporte efetuado o mais rápido possível, em veículos
    cobertos
    com lonas de cor clara e em horários de temperatura amena;
  • Deve-se ainda forrar o caminhão com palha ou serragem para
    evitar danos mecânicos aos frutos das camadas inferiores;
  • Não sendo possível o transporte logo após a colheita,
    recomenda-se que os cachos sejam armazenados em
    galpão fresco,
    bem arejado e seco, por, no máximo dois dias;
  • Se o mercado exigir o fruto a granel por unidade, proceder à retirada
    dos frutos do cacho com o auxílio de uma tesoura de poda, tomando o
    cuidado para não arrancar o pedúnculo e o cálice floral, estruturas que
    formam uma proteção natural contra a entrada de fungos e bactérias
    que deterioram a água;
  • Recomenda-se que os frutos cheguem ao distribuidor no prazo máximo de
    três dias após a colheita;
Na maioria das vezes o fruto exige armazenamento no local de consumo, onde
devem permanecer ainda nos cachos, em locais com boa ventilação, evitando-se
a exposição aos raios solares e a temperaturas elevadas.
Quando armazenados à temperatura ambiente, acima de 20ºC os cocos
devem ser consumidos no período máximo de 10 dias após a colheita.
Em câmara fria a 12ºC esse período pode ser prolongado por
mais 15 a 20 dias, após o qual iniciam os processos de deterioração
que comprometem, principalmente, a acidez da água.
Tabela 4 – Coeficientes técnicos para implantação de 1 ha de coqueiro.




Especificação
Quantidade
Unidade
Ano 1

Insumos

Calcário
Superfosfato simples
Uréia
Cloreto de potássio
Esterco
Mudas
Inseticida granulado
Inseticida
Fungicida

Serviços

Roçagem e limpeza da área
Marcação da área
Preparo das covas
Plantio/replantio
Coroamento
Aplicação de agrotóxicos
Adubações de cobertura





2
102
61
41
1.000
226
1
1
1



15
10
2
6
10
5
4





T
Kg
Kg
Kg
Kg
Unidade
Kg
Litro
Litro



D/h
D/h
D/h
D/h
D/h
D/h
D/h
Fonte: http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Coco/CultivodoCoqueiroRO/colheita.htm
Todos os direitos reservados, conforme Lei n° 9.610

Nenhum comentário:

Postar um comentário