sábado, 20 de abril de 2013

Coqueiro Anão - Palestra


Coqueiro Anão



A muda de coqueiro anão vem se tornando uma das mais vendidas em todo o território nacional, sendo uma árvore forte em produção e rentável.
Cultura típica de clima tropical, o coqueiro vem sendo cultivado em cerca de 90
países. No Brasil, o cultivo do coco se desenvolve principalmente ao longo do litoral,
sendo encontrado em áreas desde o Estado do Pará até o Espírito Santo. As estatísticas
atuais demonstram que o Brasil possui mais de 266 mil hectares implantados com a
cultura, praticamente em quase todas as Unidades da Federação. Em 2000, conforme dados
do IBGE, a Bahia figurava como o maior produtor brasileiro, com 402.937 mil frutos,
seguido pelo Ceará, com produção de 193.729 frutos e o Pará, com 154.957 mil frutos
colhidos. Nesse mesmo ano, três estados nordestinos (Bahia, Ceará e Sergipe) chegaram a
concentrar juntos, 52,9% da produção nacional de coco, evidenciando, portanto, o destaque
da Região Nordeste nesse segmento agrícola.


 Ocupando importante colocação no cenário nacional da produção de coco, o Ceará
se destaca como o segundo produtor do País, conforme comentado anteriormente. Em
2000, a produção de coco no Estado do Ceará atingiu 193.729 mil frutos, perfazendo cerca
de 21,0% da produção nordestina.
 Em termos de importância econômica e social, a cultura do coco assume posição
importante como atividade geradora de emprego e renda, empregando mão-de-obra
durante todo o ano, e permitindo o consórcio com outras culturas, tais como cultivos de
subsistência, e até mesmo a criação de animais, contribuindo assim, para a fixação do
homem no campo.


O aproveitamento industrial do fruto do coqueiro se dá mediante o processamento
do endosperma sólido ou albúmen submetido à secagem ou fresco, este último
mais utilizado no Brasil, sendo destinado à fabricação de produtos tais como, o leite de
coco e o coco ralado, empregados na indústria alimentícia de doces, bolos, bombons,
chocolates, etc., ou utilizado “in natura” na culinária doméstica. Um tipo de processamento
mais recente e em franca expansão é a extração e envasamento da água-de-coco
(endosperma líquido) mediante a aplicação de tecnologias de processamento e
conservação. Não bastasse o considerável grau de diversificação da indústria de
beneficiamento das partes comestíveis do fruto, surge na lista de produtos oriundos do
coqueiro, e apresentando crescente demanda no mercado internacional, a fibra de coco
proveniente do mesocarpo do fruto, que dá origem a uma série de bens como tapetes,
enchimentos para bancos de automóveis, pó para substrato agrícola, etc. Além da aplicação
industrial existente para o fruto, há uma série de aplicações para as diversas partes do
coqueiro, tais como o uso no artesanato e em construções do tronco (estipe), folhas, raízes,
etc. Toda essa gama de aplicações de seus produtos e subprodutos confere à cultura do
coqueiro uma elevada importância econômica, fazendo com que a agroindústria do coco se
firme cada vez mais no contexto nacional, haja vista a expansão das áreas cultivadas que já
Ribeirão Preto, 24 a 27 de Julho de 2005 Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural 3XLIII CONGRESSO DA SOBER “Instituições, Eficiência, Gestão e Contratos no Sistema Agroindustrial” extrapolaram os limites da região Nordeste, alcançando as regiões Norte, Centro-Oeste e Sudeste.

De modo particular, a cultura do coco tem condições de ser mais atuante nos
mercados nacional e internacional, desde que sejam superadas algumas condicionantes
ligadas à melhoria da produtividade dos coqueirais, expansão das áreas de plantio e
incremento do parque industrial, com a finalidade de aumentar a oferta de matéria-prima
doméstica e a capacidade de processamento das indústrias. Para tanto, faz-se necessário a
aplicação de recursos financeiros possibilitando a revitalização dos setores produtivo e
industrial, principalmente no que concerne a investimentos em tecnologias de produção
entre as quais, a prática da irrigação dos plantios e utilização de mudas selecionadas, e o
aparelhamento das unidades fabris beneficiadoras de endosperma sólido e de extração e
envasamento de água-de-coco. Este incremento do segmento terá conseqüências
importantes como o aumento no nível de empregos e das receitas dos estados produtores.

http://www.sober.org.br/palestra/2/168.pdf

Nenhum comentário:

Postar um comentário