terça-feira, 23 de abril de 2013

O MERCADO DE COCO


O MERCADO DE COCO



Estima-se que do total de coco seco produzido no país, de acordo com dados levantados pelo Sindicato dos produtores de Coco (SINDCOCO), a produção brasileira é comercializada da seguinte forma: 35% destinam-se à agroindústria, que produz, principalmente, coco ralado e leite de coco, para atender a demanda de grandes empresas produtoras de chocolate, biscoitos, iogurtes, sorvetes, confeitarias e padarias. 35% destinam-se aos mercados Sudeste/Sul para atender às pequenas indústrias, a exemplo de doceiras, padarias, sorveterias, etc.
Destes, cerca de 90%, são constituídos de frutos verdes. Os 30% restantes ficam no mercado nordestino, para atender ao consumo in natura, tanto de coco seco, como de coco verde (Viglio, 1997- citado por Cuenca, 2002).
Estima-se que 80% do consumo nordestino, sejam de coco seco e os outros 20% são na forma de coco verde. A situação do consumo por região e por tipo de coco, no Brasil, no final da década de 90. O processo de abertura da economia e conseqüente liberação das importações de matéria prima, ocorridos na última década, penalizaram os produtores de coco, devido à pouca flexibilidade da produção agrícola para se adaptar a essas mudanças. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário