quinta-feira, 9 de maio de 2013

Farinha de Coco?


Isso mesmo, mais uma maravilha feita do a partir do coco.




O óleo de coco já transformou a rotina de muita gente que sofre para emagrecer. Depois dele, de outro derivado da fruta fazer sucesso: a farinha (ou farelo) de coco já aparece como parte da alimentação voltada à perda de peso. "Esse produto é natural e tem baixos níveis de gorduras, já que elas foram retiradas para formar o óleo de coco", afirma o nutrólogo Wilson Rondó, especialista da Minha Vida. "Além disso, a farinha de coco possui propriedades que favorecem a perda de peso, reduzem o colesterol ruim e até controlam os níveis de açúcar no sangue", aponta o especialista.

A moda está chegando ao Brasil agora, mas o estudo mais abrangente sobre o assunto, publicado na revista Innovative Food Science and Emerging Technlologies, já dava a dica em 2006: os pesquisadores descobriram que a farinha de coco diminui o índice glicêmico dos alimentos e controla os níveis de colesterol das pessoas que comem sem impedir a absorção de outros nutrientes. Vendido em lojas de produtos naturais, o produto pode ser consumido acompanhando frutas, iogurte, vitaminas e até mesmo em receitas, como substituta da farinha de trigo. Entenda como ela age no organismo e aproveite os seus benefícios:

Melhora a saciedade
O nutrólogo Wilson Rondó, especialista da Minha Vida, de São Paulo, explica que as fibras respondem por 70% da composição da farinha de coco, quatro vezes mais que o farelo de aveia, por exemplo. Essa alta concentração deixa a digestão mais lenta e gera mais saciedade. "Ao ser digerido, o farelo de coco forma um bolo no estômago, fator que também contribui para adiar a fome", afirma o especialista. "Você pode associar o farelo a frutas e ele irá retardar a digestão do prato como um todo, potencializando seu lanche."

Não contém glúten
A farinha de coco não contém glúten, sendo indicada para pessoas que têm intolerância ao glúten ou doença celíaca. "Ela pode ser acrescentada a receitas de bolos, pães e tortas que geralmente seriam feitas com farinha de trigo, sem causar prejuízos ao sabor ou à composição do prato", diz o nutricionista Israel Adolfo, de São Paulo.

Ajuda no controle do diabetes
Segundo uma pesquisa realizada pelo Departamento de Ciência e Tecnologia do Instituto de Pesquisa sobre Alimentos e Nutrição das Filipinas, publicada na revista (Innovative Food Science and Emerging Technologies), o índice glicêmico dos alimentos diminui quando eles são consumidos com a farinha de coco. Isso acontece porque o farelo contém fibras de lenta absorção que, ao serem digeridas, liberam açúcar no sangue em baixas quantidades, equilibrando as taxas de glicose e conseqüentemente ajudando no controle do diabetes. "Ao associar a farinha de coco com outros alimentos de alto índice glicêmico, como batatas, você estende os efeitos da lenta absorção a esses pratos também", afirma Israel Adolfo.

Melhora o trânsito intestinal
O farelo de coco possui fibras que servem de alimento para a flora intestinal, ajudando a estimular o crescimento de bactérias boas para o intestino, fazendo com que ele funcione melhor. "A farinha ajuda a regular a digestão e é uma boa pedida para pessoas que sofrem com intestino preso", diz o nutrólogo Wilson.

Fortalece a imunidade
O crescimento da flora intestinal benéfica proporcionado pelo farelo irá melhorar o funcionamento do intestino, e conseqüentemente ajudará na imunidade. Isso porque um intestino que funciona bem irá combater com mais eficiência as bactérias ruins que entram pelo nosso corpo por meio da alimentação. "Além disso, o contato das fibras da farinha com a flora intestinal produz ácidos graxos de cadeia curta e triglicérides de cadeia média, que irão estimular o sistema de defesa como um todo", afirma Wilson Rondó.

Controla o colesterol
O estudo desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa das Filipinas também descobriu que as fibras dietéticas provenientes da farinha de coco ajudam na redução do colesterol total, do colesterol LDL e das triglicérides de pessoas com níveis de colesterol moderadamente elevados. Para entender a ação da farinha de coco na redução do colesterol, Israel explica que muito dessa substância presente no nosso corpo é produzido pelo próprio fígado, para atuar na digestão de gorduras. "Depois de ser usado na digestão dos alimentos, esse colesterol volta para o fígado, onde deve ser reabsorvido para produzir uma nova bile', diz o especialista. No entanto, se a flora intestinal não estiver funcionando como deveria, ele não é absorvido e vai para a corrente sanguínea, elevando os níveis de colesterol no sangue. "Por ajudar a flora intestinal a funcionar melhor, a farinha de coco melhora indiretamente essa absorção de colesterol, impedindo que ele se acumule no sangue e controlando suas taxas."

Acelera o metabolismo   
Se consumida diariamente, a farinha de coco pode acelerar o metabolismo, aumentando o gasto energético e favorecendo o emagrecimento. "Os triglicérides gerados pela digestão da farinha irão estimular o funcionamento da glândula tireoide, que está diretamente ligada ao bom funcionamento do metabolismo", afirma Wilson Rondó. Isso fará com que nosso corpo gaste mais calorias ao longo do dia, ajudando na luta contra a balança.

Não impede a absorção de outros nutrientes
Ao contrário da fibra presente em outras farinhas e farelos, a fibra do coco não impedirá a absorção de certos minerais, fazendo com que eles sejam mais bem aproveitados pelo organismo. "Algumas fibras, ao serem digeridas, seqüestram esses minerais e impede sua absorção pelo organismo, efeito que não acontece com a farinha de coco", diz Wilson Rondó. A absorção de cálcio é uma das mais beneficiadas pela ingestão de farinha de coco, o que irá ajudar no fortalecimento dos ossos e dentes e a prevenir doenças como osteoporose.

Fonte: Minha Vida, Farinha de coco faz emagrecer e controla doenças como o diabetes. Dá para substituir a farinha de trigo nas receitas, incrementar o iogurte e temperar a salada. Acesso em 03/09/2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário