sábado, 12 de outubro de 2013

Variedades do coqueiro anão

As Variedades de Espécies do Coqueiro Anão 

O coqueiro anão
é constituído de uma única espécie ( Cocos nucifera), e pode ser dividido em três grupos: Gigantes, anões e intermediários, cada grupo contendo um número de variedades. As variedades são geralmente nomeadas de acordo com a sua suposta localidade de origem.
As variedades gigantes apresentam, de modo geral, fecundação cruzada: seu crescimento é rápido e a fase vegetativa longa (cerca de sete anos). Os frutos são grandes, em número de 50 a 80 por planta/ano geralmente. Os frutos se prestam tanto para o consumo “in natura” como para a produção de copa para a indústria, pois, possuem endocarpo espesso e firme. As principais variedades existentes no Brasil são: Gigante da Praia do forte, Gigante do oeste Africano, gigante de Renell, Gigante da Malásia, Gigante da costa Oeste.
As variedades anãs são divididas  com base na coloração da casca, considerando-se principalmente, a grande homogeneidade dentro de cada grupo de cor, embora exista vasta diferença entre plantas  anãs dentro do mesmo grupo de casca.
De modo geral, as variedades anãs possuem frutos pequenos com endocarpo ou polpa pouco espessa, não se prestando à industrialização. Apresentam crescimento vegetativo lento, reproduzem-se por autofecundação e são mais precoces, com período vegetativo de três a quatro anos. O coqueiro anão vem sendo largamente plantado no Brasil, com a finalidade da produção do fruto verde, para o consumo da água.
Em condições ideais, as variedades anãs podem produzir até 200 frutos pé/ano.
As principais variedades de coqueiro anão encontradas no Brasil são: Anão verde da Malásia, não vermelho da Malásia, Anão amarelo da Malásia, Anão Verde do Brasil, Anão Vermelho do Brasil, Anão Amarelo do Brasil e Anão Verde de Jequi.
As variedades intermediárias, embora permitam interpretações arbitrárias, pertencem ao tipo anão ou semi gigante. Algumas variedades assemelham-se mais ao tipo gigante e outras ao coqueiro anão. Essas variedades intermediárias não são de importância comercial.
Ainda existem híbridos obtidos do cruzamento do anão com o gigante, que são plantas vigorosas, de pequena altura, de grande produtividade, prestam-se à produção.
De fruto verde e copra para indústria. No Brasil, apenas instituições de pesquisa e grandes empresas têm capacidade de produzir a semente híbrida sendo restrita a aquisição de sementes para o plantio comercial.
Os híbridos de maior sucesso no Brasil e no mundo são: PB 111, PB 121, PB 131, PB 141.


Fonte: Livro de cultivo de coco anão-Editora Aprenda Fácil

Nenhum comentário:

Postar um comentário